IPCA cumpriu a sua missão na vertente cultural

Foi inaugurada esta quarta-feira, pela Ministra da Cultura, Graça Fonseca, a exposição de Maria Keil, dinamizada pelo Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA), em parceria com a Câmara de Barcelos.

Estão expostas na Galeria Municipal de Arte em Barcelos mais de 100 peças de Maria Keil, entre elas pinturas, telas design experimental e comercial, assim como parte da relação íntima que a artista tinha com a arte, como pequenas construções para teatro com fantoches de dedo.

Conhecedora e admiradora da obra de Maria Keil, a Ministra da Cultura veio a Barcelos inaugurar uma mostra que reúne obras inéditas da artista e, desta forma, marcar presença nas comemorações dos 25 anos do IPCA.

A Ministra, na sua intervenção, lembrou que Maria Keil foi uma das grandes artistas contemporâneas portuguesas detentora de um perfil multifacetado e enalteceu esta iniciativa como forma de passar testemunhos a novas gerações: “Esta é uma iniciativa muito importante na ligação entre a Escola Superior de Design e o Município de Barcelos, pois não só estamos a falar de uma exposição em ligação com o público, mas também com os alunos”. A ministra da Cultura sublinhou também a necessidade das entidades públicas, em conjunto com as famílias dos artistas, de preservar o espólio e legado cultural para o usufruto das gerações futuras.

A Presidente do IPCA, Maria José Fernandes, referiu a origem desta iniciativa. “Este é um momento de grande significado no âmbito das nossas comemorações dos 25 anos do IPCA. Há meses falei com a professora Paula Tavares e com a professora Cristiana Serejo em trazer algo de inovador a Barcelos. Esta foi a proposta: trouxeram a Barcelos uma das artistas que diz muito a muitas pessoas. A missão foi cumprida”.

A Vice-Presidente da Câmara de Barcelos, Armandina Cunha, agradeceu ao IPCA a oportunidade de estabelecer esta parceria e receber na Galeria de Arte um espólio nunca divulgado publicamente de “uma grande artista e uma grande mulher”.

«Esta é a primeira vez que a região pode ver este espólio de Maria Keil. Aqui está, pela primeira vez ao público, o desenho de admissão de Maria Keil à escola de Belas Artes», referiu a curadora da exposição e docente no IPCA, Cristiana Serejo que vê esta exposição como uma autêntica aula.

Nas palavras do arquiteto Francisco Keil, filho da artista e também curador da exposição, ficou-se a saber que a primeira artista a dar cor às primeiras estações de metro em Lisboa através de painéis de azulejo foi Maria Keil.

‘O Processo Criativo de Maria Keil’ é o tema desta exposição que estará patente até 17 de Novembro e que abarca o percurso criativo de Maria Keil, com a apresentação de inéditos do seu espólio pessoal, de acordo com a organização.