Plano de Contingência Interno

Plano de contingência e ação para pr​​evenção de transmissão da i​nfeção humana pelo coronavírus (SARS-CoV-2 e COVID-19) no IPCA

Considerando o atual estado de emergência de Saúde Pública, declarado pela Organização Mundial de Saúde, e atendendo às mais recentes evoluções da propagação da infeção por doença respiratória causada pelo agente Coronavírus (SARS-CoV-2 e COVID-19) tendo como linha de referência as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS), o IPCA elaborou um Plano de Contingência Interno para o SARS-CoV-2 e COVID-19.

 

OBJETIVOS DO PLANO DE CONTINGÊNCIA

Foram definidos como principais objetivos do plano de contingência os seguintes:

  • Minimizar o impacto da pandemia nos estudantes e funcionários do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave.
  • Orientar a implementação das medidas de controlo de infeção e de saúde ocupacional.
  • Estimar as necessidades de cuidados a serem prestados e recursos necessários, no caso de uma pandemia.
  • Otimizar a utilização de instalações e serviços do IPCA e planear a sua maximização de acordo com a necessidade.
  • Promover a continuidade do processo de ensino-aprendizagem, nomeadamente pelo recurso a técnicas de ensino à distância.
  • Assegurar a atempada recolha e comunicação de informação.
  • Promover a formação e treino de todos os alunos e funcionários do IPCA.
  • Assegurar uma resposta coordenada com as outras instituições, nomeadamente as de saúde, envolvidas na resposta à pandemia.

Esse documento está em consonância com as diretivas do SNS para infeção humana pelo Coronavírus (SARS-CoV-2 e COVID-19) e define o nível de resposta e de ação do IPCA para minimizar os riscos de transmissão daquele agente patogénico.

O referido plano e as medidas internas de prevenção e controlo da doença aplicam-se a todos os membros da comunidade académica e àqueles que, por motivos profissionais ou outros, se desloquem às instalações do IPCA.

São reservados os seguintes espaços para o isolamento temporário de qualquer membro da comunidade académica ou visitante que evidencie sintomas de risco:

Nos espaços de isolamento temporário existem máscaras, luvas, lenços de papel, desinfetante para as mãos, termómetro e outro equipamento que se revele útil para minimizar o perigo de contaminação. Os espaços são dotados com telefone, acesso à Internet e outros bens ou meios que se revelem necessários.A localização e os percursos para os espaços de isolamento temporário são devidamente assinalados através de sinalética apropriada.

 

ORIENTAÇÕES E INFORMAÇÕES

Tendo em conta a evolução da propagação de COVID-19, recomenda-se que toda a comunidade académica do IPCA siga as seguintes orientações:

  • Devem ser canceladas ou adiadas as deslocações, em especial às regiões onde exista transmissão ativa do COVID-19 na comunidade, sendo dada prioridade à utilização de meios de trabalho à distância. A lista dos países onde se verifica transmissão ativa do novo coronavírus é objeto de atualização diária no site da DGS;
  • Deve igualmente ser evitada a realização de reuniões científicas ou outras que, pelo envolvimento de intervenientes internacionais ou pela elevada acumulação de participantes, possam constituir risco de focos de transmissão;
  • Os membros da comunidade do IPCA que regressem de viagem de locais afetados devem, de acordo com a informação 005/2020 da Direção Geral de Saúde, adotar os seguintes procedimentos:
    • Estar atentos ao aparecimento de febre, tosse ou dificuldade respiratória;
    • Verificar se alguma das pessoas com quem conviveu de perto, desenvolveu sintomas (febre, tosse ou dificuldade respiratória);
    • Caso apareça algum dos sintomas referidos (no próprio ou nos seus conviventes), não se deslocar de imediato aos serviços de saúde, mas ligar para a linha Saúde 24 (808 24 24 24) e seguir orientações que lhe forem transmitidas e informar a Chefia Direta, tal como previsto no plano de contingência.
    • Nos 14 dias após o regresso, promover um distanciamento social responsável, nomeadamente, não permanecendo em locais muito frequentados e fechados.

 

Todos os elementos da comunidade do IPCA devem, ainda, seguir as seguintes recomendações da DGS:

  • Lavar frequentemente as mãos com água e sabão, nomeadamente sempre que se assoar, espirrar ou tossir e, especialmente, após contacto direto com pessoas doentes;
  • Evitar levar as mãos à boca, ao nariz ou aos olhos, porque as mãos podem ser vias de transmissão do vírus;
  • Manter o mínimo de 1 metro de distância de qualquer pessoa que evidencie sintomas gripais;
  • Evitar o contacto próximo com pessoas com infeções respiratórias e, no caso de o ter, utilizar máscara, luvas e bata;
  • Evitar os cumprimentos típicos de socialização;
  • Evitar o contacto desprotegido com animais selvagens ou de quinta;
  • Adotar medidas de etiqueta respiratória, como tapar o nariz e boca quando espirrar ou tossir com lenço de papel ou com o braço (nunca com as mãos), e deitar o lenço de papel no lixo logo após a sua utilização, lavando as mãos de seguida;
  • Se tiver febre, tosse, espirros e dificuldades de respiração ligar de imediato para a Linha de Saúde 24 (808 24 24 24), mantendo-se na sua residência;
  • Todos os viajantes regressados de áreas afetadas há menos de duas semanas que apresentem sintomas sugestivos de doença respiratória, durante ou após a viagem, devem permanecer em casa e ligar para a Linha de Saúde 24, informando sobre a sua condição de saúde e história de viagem, e seguindo as orientações que vierem a ser indicadas;
  • Nos 14 dias seguintes à sua chegada de locais onde o vírus está disseminado, os viajantes devem avaliar a temperatura corporal duas vezes ao dia e, no caso de terem febre, informar a Linha de Saúde 24, mantendo-se na sua residência.

No âmbito da orientação n.º 006/2020, de 26/02/2020, da Direção-Geral da Saúde (DGS), a Presidente do IPCA aprovou no dia 6 de março o COVID 19: Plano de Contingência Interno do IPCA, que se aplica em todas as Unidades Orgânicas e Escolas, Serviços Centrais e Serviços de Ação Social (SAS).

Integram a Comissão de Gestão do Plano de Contingência Interno COVID-2019 do Instituto Politécnico do Cávado e Ave, os seguintes membros:

  • Maria José Fernandes, Presidente do IPCA, coordenadora;
  • Filipe Chaves, Diretor da ETESP;
  • Diogo Moreira, Administrador;
  • Sofia Coelho, Diretora dos Serviços de Ação Social;
  • Adriana Lago, Diretora da Unidade Praxis 21;
  • Belisa Rodrigues, Técnica Superior dos Serviços de Ação Social;
  • João Pedro Pereira, Presidente da Associação Académica do IPCA;

Contactos para dúvidas e esclarecimentos sobre o Plano de Contingência do IPCA:

Tlf.: 253 80 21 99

E-mail: covid19@ipca.pt

 

Situação atual de Alerta no IPCA:

Atualizado dia 7 de abril de 2020

 

 

 

 

Despacho (PR) nº 27/2020 Nomeação da Comissão de Gestão do Plano de Contingência Interno COVID-2019 do IPCA

Despacho (PR) nº28/2020 Medidas de prevenção de transmissão do COVID-19 no IPCA

Despacho PR (31/2020) Medidas adotadas pelo IPCA

Perguntas Frequentes

[/accordion-item]

Fonte Direção Geral da Saúde